segunda-feira, 12 de outubro de 2009

RESGATE DA DIGNIDADE!

Os Jogos Olímpicos são uma série de eventos desportivos que ocorre a cada quatro anos, após o período da olimpíada e que reúne atletas de quase todos os países do mundo, para competirem em várias categorias de desporto.

Os primeiros jogos foram realizados na Grécia Antiga, no ano 776 antes de cristo, como uma importante celebração e tributo aos deuses. A origem dos Jogos Olímpicos na Grécia Antiga é frequentemente associada à celebração do esporte e do culto à beleza estética humana, como se estes fossem seus objetivos principais. Fala-se pouco, porém, na intenção mística e fúnebre de saudar os mortos de cada cidade.

Num período de quatro em quatro anos, cidade-estado da Grécia dedicava um dia do ano (a primeira lua cheia do verão do hemisfério Norte) para reverenciar os falecidos nesse quadriênio, e reuniam num campo os pertences dos mortos e abandonavam momentaneamente a cidade, para deixar que os espíritos passeassem entre suas lembranças de vida terrena. Isso após as sacerdotisas acenderem uma chama que os rapazes levavam até o templo do deus-patrono da cidade. A festa começara como celebração dos mortos, e já atraía gigantescas procissões de gregos de várias cidades-estado.

Em 393, da era atual, foi proíbido pelo imperador Cristão Teodósio I, por serem uma manisfestação do paganismo. Porém, em 1896, um aristocrata francês, Barão de Coubertin, recupertou os Jogos tentando reavivar o espíritos das primeiras Olímpíadas, que passaram a ser realizadas de quatro em quatro anos desde então (como a tradição grega).

Nos Jogos da Antigüidade, os países abandonavam todo o conflito político-militar quando chegasse a época dos esportes. O próprio caráter internacional da competição teve início quando três reis de cidades-estado gregas assinaram um tratado de paz em Olímpia, prometendo enviar para lá, a cada quatro anos, seus melhores atletas, obrigando-se a trégua caso estivessem em guerra. Retornar com os Jogos Olímpicos seria uma forma de celebrar a paz entre as nações, numa época marcada por guerras.

Em 1894 é criado o Comitê Olímpico Internacional (COI), entidade não-governamental. Apesar de serem, em teoria, um evento para participação mundial, é inegável que as Olimpíadas possuam um caráter ainda centralizado no hemisfério norte, onde surgiram, e onde se localiza a maior parte dos tais “países desenvolvidos”.

Passado 2785 desde a criação dos jogos, Sexta-feira, dia 2 de Outubro de 2009, nosso país, através da cidade do Rio de Janeiro, conhecida como Cidade Maravilhosa, foi eleito para sediar, em 2016, os próximos jogos Olímpicos. Seremos o primeiro país da América do Sul a sediar a Olimpíadas. Vale lembrar também que em 2007 sediamos o pan-americanos, e que em 2014 sediaremos, novamente a copa do Mundo.

A última sexta-feira entrará para a história como o dia em que demos início ao resgate da dignidade do povo brasileiro. Só é digno da vida aquele que vai, todos os dias, à luta por ela. E como sabemos nosso povo é guerreiro, não desiste nunca. O esporte é importante para modernizar nossa visão de mundo, porque socializa a gente, na derrota e na vitória.

Sabemos que em nosso país existem vários problemas, principalmente sociais. Porém, os problemas sociais não são simples questão de estômago. E sim uma questão de dignidade. Os problemas nunca vão desaparecer mesmo na mais bela existência. Problemas existem para serem resolvidos, e não para perturbar-nos.

Atualmente, o maior problema mundial é a pobreza e a fome. E é incompreensível que num mundo onde se fabrica mais do que se pode consumir, pessoas não tenham o que comer.

Esse problema nosso presidente conhece de perto, talvez por isso ele melhor do que ninguém sabe como resolver.

E no Brasil, o atual governo, liderado pelo presidente Lula vem buscando soluções para a exclusão social e a fome, através de ações políticas e vem se destacando, ao ponto de ser considerado como grande liderança mundial, inclusive pelo atual presidente da maior potência mundial, os Estados Unidos, que o classificou de forma divertida e carinhosa como “O CARA”.

Antigamente nos jogos olímpicos os três reis de cidades-estado gregas assinaram um tratado de paz em Olímpia, prometendo enviar para lá, a cada quatro anos, seus melhores atletas, obrigando-se a trégua caso estivessem em guerra. Atualmente, alguns países enviam seus melhores homens para fazer guerra. Nós brasileiros enviamos para outros países,como nosso vizinho Haiti, Honduras, além de países da África, nossos melhores soldados, para levar ajuda. Um exemplo de humanidade.

Muitos são contra essa atitude, entendem que o Brasil não deve ajudar outros países, já que em nosso país existem vários problemas. Porém o Governo Lula, além de fazer o trabalho de casa, não vira as costas para nossos irmãos, e na medida do possível os ajudam.

Em nosso país, o governo melhorando a situação do povo. Porém não é benéfico ajudar apenas colocando moedas em seus bolsos quando existem buracos neles. Temos que ajudar a consertar esses buracos.
As moedas vêm sendo colocadas através dos projetos como o Fome Zero, Bolsa Família, Bolsa Escola, Pró Jovem, Minha Casa Minha Vida, Luz para Todos e vários outros. O que para alguns é esmola, na verdade com esses projetos, o governo vem recuperando a dignidade do povo. Os buracos vêm sendo consertados através da criação de renda, empregos, investimentos na educação, saúde, segurança. Investimentos que fizeram do Brasil um país respeitado, com isso conseguimos trazer o pan-americano, Copa do Mundo e Olimpíadas.











Há ainda alguns que defendem contra a vinda das Olipíadas e Copa do Mundo para o Brasil. Porém entendemos que não é somente com discursos e projetos sociais que vamos acabar com a pobreza. Como diz a letra da música: “a gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte”.

Como vimos, a Olimpíada tinha intenção mística e fúnebre de saudar os mortos de cada cidade, hoje serve para saudar trazer alegria, esperança, dignidades para os vivos, com isso sendo capaz de superar todas das dificuldades.

A Olimpíada e a Copa do Mundo gerarão empregos, rendas, modernidade, melhorias, que ficarão para sempre. Isso tudo ainda está por vir, porém o mais importante eles já trouxeram. O reconhecimento, orgulho, dignidade, de um povo que ama o país.

Esses jogos reforçam a máxima que toma conta das nossas torcidas mais animadas: “Eu sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”.

2 comentários:

BLAZE disse...

Esse texto só vem confirmar que nossa política está no caminho certo, é claro que existe quem vai contra mas as coisas mudaram, Nossa política não visa agradar a burguesia mas visa iniciativas que apague ao menos um pouco a Herança que a "maravilhosa" colonização portuguesa nos garantiu.

Edson Campos disse...

Caro Paulo Lúcio.
Reforço o convite do Diogo para que você venha ser mais um integrante do Grupo Aliança Cataguases - GAC. Lembro que para fazer parte do nosso grupo, não se faz necessária a mudança de partido.