sábado, 10 de outubro de 2009

OPOSIÇÃO COLETIVA!

Política é o exercício da organização, direção, administração dos bens públicos.
Na política existem dois lados, situação ou oposição. Situação é quem ganha a eleição ou aquele grupo, partido ou indivíduo que apóia o governo.

A Oposição é constituída pelos que não chegaram ao poder e não apóiam politicamente ou ideologicamente aqueles que, da mesma forma, estão na direção da cidade, estado ou governo federal. Cabe à Oposição estar firme na cobrança de políticas públicas que beneficiem a população, sem tréguas para esse ou aquele governante.

Essas duas vertentes da política divergem-se; muitos políticos, de forma oportunista, preferem ficar do lado da situação, mesmo que em campanha, tenham apoiado partidos ou frentes que não chegaram aos governos. A idéia é se aproveitar do poder para se manter no poder a qualquer custo, mesmo que seja o da desmoralização de seus mandatos. Isso acontece diariamente nos ambientes das câmara legislativas do país e a situação é mais reveladora nos municípios. Normalmente, os políticos que “trocam de camisa” no andar do jogo, aproveitam-me da desinformação de seus eleitores que costumam até mesmo a achar esse gesto ético, bonito, inteligente...

Mas, existem outros que preferem manter a coerência política, em nome do compromisso com a história e se recusam a vender a imagem de bonzinhos para a população, servindo, de forma incoerente, a dois senhores.

Mas, em resumo, na democracia da política não deve haver vencedor. Quem deve ganhar no final com o exercício da política é a população.

Não existe governo sem oposição, por melhor que seja. E cada governo tem a oposição que merece.

Ser da oposição não é ser do contra como muitos pensam, mas sim contrapor pontos de vistas, projetos, idéias, cobrar, fiscalizar e denunciar atos do governo.

O oposição tem tendência de ser popular, porém a população não sabe a força que tem, apesar dos vários exemplos históricos de mudanças substancias na realidade a partir da mobilização popular. Podemos lembrar de imediato, no Brasil, o fim do regime militar, a conquista das Diretas Já, a cassação de Collor de Mello, entre outros.

Em Cataguases não é diferente, existe oposição, que não conta somente com a atuação do Vereador Pequeno, conta também com membros do seu Mandato Coletivo, além de outras forças opositoras, estas sim, trabalhando para garantir as “Mudanças pra Valer”.

O governo municipal de Cataguases não quer oposição, faz acordos e compra aliados, usando a estratégia do discurso da união de todos em prol do município, com isso vai implementando suas ações, muitas delas desastradas, na expectativa de angariar apoios dos mais desavisados sem ser questionado.

Nelson Rodrigues já nos ensinou que “toda unanimidade é burra”, especialmente quando ela é forjada.

Os resultados de políticas dos olhos fechados ou vedados, só leva ao atraso político e mantém uma uma prática odienta, atrasada, que é a de investir na alienação do povo.

É preciso saber conviver com a diversidade e a oposição das idéias. Política de um lado só é contra os princípios da organização do próprio Estado. Repetindo Nelson Rodrigues, A unanimidade é burra e só leva ao atraso.

O governo municipal de Cataguases usa como desculpa o pouco tempo no paço, para justificar sua visível inoperância em diversos campos da administração.

Concordo em parte, para nós que estamos com saúde o tempo é pode ser pouco, porém para aqueles que estão doentes, muitos a beira da morte e outros morrendo o tempo é muito. Quanto tempo teremos que esperar para termos acesso aos nossos Direitos? Afinal, está escrito na Constituição: Saúde é lei. Quantos munícipes perdermos até que a quadra roda do setor público municipal comece a rodar? Como diria Cazuza: “O tempo não para.” Além da saúde, várias outras áreas se encontram precárias. Sem oposição essas áreas continuarão abandonadas e esquecidas.

Imagino o que seria de nós se não tivesse a oposição, alguém para cobrar. O que seria do mundo sem opositores. Imaginem um mundo sem Jesus Cristo. Sim, sem Jesus Cristo! Afinal, Jesus Cristo fez oposição contra o Império Romano, deu sua vida para mudar o mundo. Esse é o exemplo mais patente de exercício de Oposição.

Fico orgulhoso de ser da oposição e poder contribuir para conseguir as mudanças prometidas...com muita luta, é claro. E repetindo o nosso Presidente Lula: “A luta continua companheiro”.

3 comentários:

Wilma Capella disse...

Caro amigo,
Nunca tive um partido político e nem vou ter. Sempre votei no HOMEM que reconhecia ser o melhor para o nosso povo.Por incrível que possa parecer nunca fui oposição. Mas uma coisa é certa, sempre estive do lado de quem eu considerava ser o MELHOR.
Critico e elogio quando acho necessário .
Acho que mulher é assim mesmo.

Anônimo disse...

Olá Paulo Lúcio
Vc sabe que em nossa região Cataguases é a única cidade que provavelmente, não terá o Pró Jovem
,um programa do governo federal, com inúmeras vantagens.
Por que será?

paulo lucio disse...

Caro anônimo,

Primeiramente, obriagado pela visita.

O Governo Federal vem se investindo pesado nos projetos, principalmente os voltados a educação e no social.

O Pro Jovem, como você citou, se não sabe, foi implantado em Cataguases, mas não foi mérito do prefeito, pois quase que ele perde o prazo de inscrição, e foi graças a oposição, principalmente, graças ao vereador Vanderlei Pequeno, que é do PT e sabe dos projetos do governo federal.

Com isso, através da oposição, Cataguases implantou o Pro Jovem Adolescente e Urbano.


Além do Pro Jovem, Cataguase também tem o Segundo Tempo,voltado para o esporte. Além desses dois, existem vários outros projetos, alguns ainda não implantados.

Esses projetos com certeza serão implantados, pois o Vereador Pequeno, represetando a oposisão, vai cobrar do Executivo para que implantem esses projetos, que como você citou, tem inúmeras vantagens.

Oposição não é somente para falar mal, mas sim para cobrar e fazer valer as mudanças pra valer.

Estamos de olho.